Brasil bate o Japão no vôlei e se garante nas quartas

Categoria: Geral | Publicado: quinta-feira, agosto 11, 2016 as 08:21 | Voltar
vol_natalia-ap

Natália tira do bloqueio japonês (Foto: Agência AP)

Agora, o Brasil soma três vitórias na competição e lidera o Grupo A de forma invicta, com nove pontos. A Rússia tem a mesma pontuação, mas leva a pior nos critérios de desempate. O Japão, por sua vez, estaciona nos três pontos. Na próxima sexta-feira, a seleção volta à quadra para enfrentar a Coreia do Sul, às 22h35, enquanto as japonesas enfrentam as russas, às 20h30.

- Começar bem assim, para ganhar confiança, é bom demais. É um jogo muito rápido, tem que ter uma boa defesa, bolas que não estamos acostumadas. Zé pediu muito isso para a gente - disse Dani Lins após o jogo.

Natália saiu de quadra como a maior pontuadora da partida, com 16 pontos. Sheilla, com 13, e Fê Garay, com 11, foram os outros destaques. Pelo Japão, Saori Sakoda, com 11, foi o maior destaque.

Garantido nas quartas de final, Zé preferiu não comemorar aliviado. A caminho da próxima fase, diz que é mais importante terminar na primeira posição por conta do chaveamento.

O JOGO

Logo no primeiro ponto, o esperado. Fabiana subiu pelo meio e soltou o braço, mas lá estava uma japonesa para defender. Na sequência, porém, Natália teve mais sucesso e abriu a contagem. Fabiana, no saque, e Juciely, em belo bloqueio, ampliaram a vantagem. Mas foi por pouco tempo. O Japão foi buscar e virou em ponto de Nagaoka. As asiáticas abriram quatro pontos de diferença com a mesma velocidade que se movimentam em quadra (8/4). Zé Roberto, então, pediu tempo. Era preciso arrumar a casa.

Deu certo. A seleção melhorou e logo encostou no placar. A virada veio em toque na rede do bloqueio japonês. Depois, o paredão brasileiro subiu duas vezes em sequência para abrir 16/13. Ao tentar defender uma bola, Natália se chocou com o placar e deu um susto na comissão. Reclamou de dores na mão direita, mas seguiu em quadra. No bloqueio de Sheilla, fim de papo: 25/18.

Sakoda atacou forte para abrir a contagem. A resposta veio na pancada de Sheilla para deixar tudo igual. A dificuldade que Zé tanto esperou estava ali. O Japão era rápido, mas o Brasil mostrava paciência. No ataque rápido de Fê Garay pelo meio, a seleção passou à frente. Sheilla, em mais um bom ataque pela direita, abriu 8/6.

Confira os outros resultados do dia:

China 3 x 0 Porto Rico (25/20, 25/17 e 25/18) - Grupo B
Itália 0 x 3 Holanda (21/25, 20/25 e 20/25) - Grupo B
Estados Unidos 3 x 1 Sérvia (25/17, 21/25, 25/18, 25/19) - Grupo B
Rússia 3 x 0 Camarões (25/19, 25/22 e 25/23) - Grupo A
Coreia do Sul 3 x 0 Argentina (25/18, 25/20 e 25/23) - Grupo A

Fonte G1.com

 

Publicado por:

Utilizamos cookies para permitir uma melhor experiência em nosso website e para nos ajudar a compreender quais informações são mais úteis e relevantes para você. Por isso é importante que você concorde com a política de uso de cookies deste site.